CLASSICS // O BÊ-Á-BÁ DA CAMISA BRANCA

quinta-feira, abril 27, 2017


Carolina Herrera, cuja imagem de marca é muito associada à camisa branca, afirma “Quando não sei o que vestir, escolho sempre uma camisa branca. É uma aposta seguríssima!”.

A camisa branca é, diria eu, a “peça básica” mais consensual de todas. Básica entre aspas, claro.
Afinal, é tudo menos uma peça sem graça, e, ao mesmo tempo, consegue ser combinada com tudo: de calças a saias e calções, por cima ou por baixo de vestidos, de Verão e Inverno.

De onde vem tanta consensualidade, além do já mencionado em cima? Adapta-se facilmente a qualquer situação: de trabalho a uma saída informal, ou numa roupa prática de fim-de-semana.


No entanto, comprá-la parece ser a grande dificuldade da maioria das mulheres. Para que essa busca não seja eterna, deixo umas dicas:

Experimentem // De preferência vários modelos. Esta peça tem potencial para combinar com quase tudo no vosso guarda-roupa, escolham uma com que se identifiquem e que vos assente na perfeição.

Invistam // É uma peça para sempre, que nunca passa de moda, por isso vale a pena investir em qualidade. Sem contar que materiais de má qualidade dão um ar mau à peça (linhas a saltarem, possibilidade de buracos, desgaste com as lavagens).

Atenção aos detalhes // Hoje em dia existem inúmeros modelos de camisas brancas: desde a gola, aos botões, ao próprio comprimento e largura, e em vários materiais. Mais uma vez, é uma questão de procurarem bem e perceberem os que mais se encaixam no vosso estilo e rotina.

Tempo // Não vão acertar na camisa branca ideal na primeira loja em que entrarem, isso dificilmente vai acontecer. Como já mencionei, é uma peça para a vida, por isso vale a pena procurar bem a “tal”.


Na minha WL, está a incrível Capri Shirt da Totême:


You Might Also Like

0 comentários

Obrigado por comentarem!