CONSUMO EM CRISE: Beauté!

segunda-feira, dezembro 03, 2012

Algo que li em tempo no Dia de Beauté (blog da musa Vic Ceridono, editora de Beleza da Vogue Brasil) levou-me a este post: o consumo de beleza é viciante, e há neste mundo uma grande mais valia - para além do óbvio - que é podermos consumir o segmento de luxo de beleza. Passo a explicar: um batom Tom Ford custa à volta dos 40 euros. É muito por um batom (óbvio), mas se pensarmos no valor em si é algo que conseguimos juntar. Mas se falarmos numa peça de roupa do mesmo criador... Levaríamos "uma vida" a conseguir o mesmo. Concluindo: é fácil termos um mimo de beleza.

Mas traduzindo isto para o dia-a-dia, e para a realidade em que vivemos - o que devemos ter em conta para consumir beleza de forma ponderada e, ainda assim, conseguindo ter um "arsenal" completo e eficaz.

O ESSENCIAL | Eu não sou nada a favor daquelas lógicas do "poupe dinheiro com tónico, use água de rosas". Se há essencial na beleza que deve ser cuidadosamente estudado, e onde devemos investir, é o tratamento de rosto diário. Limpar, tonificar, hidratar e esfoliar são passos essenciais para uma pele bonita e saudável, e sem isso... Não há maquilhagem que nos salve!! Por isso, em primeiro lugar no budget e na preocupação deve estar sempre esta secção.

VALIDADE | Quanto à cosmética em si, se há algo que devemos ter em conta quando analisamos a qualidade/preço, e o que já temos lá por casa, são as validades de cada produto. Não vale a pena comprar duas máscaras na mesma semana (ou no mesmo mês), se sei que só duram seis meses em condições. O mesmo com o pó de rosto, ou com qualquer outro produto. Primeiro compramos, usamos, vemos se estamos satisfeitas, e depois então logo pensamos no passo seguinte (na mesma categoria, claro) - é normal gostarmos de ter duas bases diferentes, mas não vale a pena comprá-las ao mesmo tempo, e será muito mais produtivo assim (criando uma espécie de sistema rotativo onde existem sempre duas, ou o número que prefiram). Sem contar que esta lógica é muito mais amiga da carteira ("grão a grão...").

IMPULSO | Tal como na roupa e acessórios, existem impulsos de consumo. Eu, por exemplo, tenho uma queda por batons vermelhos e nudes, blush's rosa e máscaras. A única coisa a que dou um uso que compense são batons nude (uso mesmo muito), o resto tenho em excesso. Como contornar isto? Deixando de comprar, ponto! Na beleza não há um "compre mais barato porque é tendência" - ou arriscam-se a ter danos (permanentes) na pele - mas sim um "não precisa, deixe na loja".

CONTROLAR A QUANTIDADE | Na beleza não há nada por onde fugir à qualidade (não o façam, a sério), por isso só há mesmo uma coisa a fazer: controlar a quantidade. Comprar de forma inteligente (veja-se uma das listas que a Vic fez - aqui), ter um 'stash' simples e completo para começar e - então depois - poder comprar um mimo de vez em quando.

ARRUMAÇÃO | Aí está algo barato na beleza - caixinhas de arrumação. Ter a maquilhagem bem arrumada e separada (e guardada num sítio seco!!) é meio caminho andado para não cometermos excessos. Hoje em dia já há um pouco por todo o lado: Ikea, Leroy Merlin, Área, ...

E O CORPO? | Beleza não é só maquilhagem... Existe pele no corpo inteiro!! ahah Nos cuidados com o corpo há uma dica muito simples: existem variados produtos com variadas funções - procure não comprar mais do mesmo! Em vez de três cremes hidratantes de corpo normais (porque há muita mulher que gosta de acumular este tipo de produtos), porque não ter um hidratante de dia-a-dia, um mais espesso para usar uma vez por semana, e um esfoliante? Estes produtos, sim, tendem a ser mais em conta (a não ser para quem tenha necessidades especiais como estrias, celulite, queimaduras, ...), e dá para conseguirmos um home-spa completo.

MIMOS | Haaa, os tais mimos. Sabem bem, dão um UP instantâneo na auto-estima, e não necessitam de fazer um grande estrondo no orçamento (e embelezam ahah) - E não precisam de ser Tom Ford!! Batom vermelho, um gel de duche aromático (amo a Rituals), iluminador dourado, blush 'berrante', brilhos/pigmentos. Algo diferente e que saia da rotina MAS que tenhamos a sensação (de preferência, a certeza) que vamos usar.

You Might Also Like

9 comentários

  1. A nível de beleza já fui muito mais consumista do que agora. E parte porque uma pessoa se vai conhecendo melhor e sabe o que realmente gosta e precisa, em parte porque vão surgindo mais marcas com uma boa relação qualidade-preço e mais variedade, pelo que já não é necessário comprar X embalagens com medo de não encontrar nada semelhante. Também sou assim em relação aos bâtons. Só uso duas cores: encarnado e nude. Quando encontro algum de que goste, sou capaz de trazer porque sei que lhe dou uso. O mesmo para as bases e pós muito claros, boas máscaras e bons pincéis. Gosto de sombras de qualidade, mas tenho as paletes neutras e as de festa, e bastam-me...
    Dificilmente sou seduzida por novidades malucas, e tenho-me moderado ainda mais para dar uso à tralha que por aqui anda e que fui juntando quando não era assim tão moderada. Há que lembrar que as coisas passam de prazo!

    ResponderEliminar
  2. Eu uso maquilhagem todos os dias e gosto e variar a cor dos lábios, mas só tenho mesmo o básico e alguns extras (batons, que nem são muitos). Sinceramente, nunca compreendi quem tem 5 bases, 3 correctivos, 20000 sombras e 300 batons todos iguais. E quanto aos cremes a mesma coisa. Só compro mais quando acabo aquela embalagem.
    Acho que ultimamente tem havido uma loucura com os produtos de beleza muito devido aos blogs e youtube gurus que têm aparecido por aí. Eu adoro-as (A vic, a Julia Petit...), mas temos de ter noção de que aquilo é o trabalho delas e que elas não compram nem metade do que têm.
    Espero mesmo que o pessoal se mentalize.:)
    beijinhos,
    Diana do http://thegirlwhocouldntbeafashionista.blogspot.ie/

    ResponderEliminar
  3. Por acaso é uma área em que eu invisto muito pouco, apesar de andar maquilhada todos os dias. Só compro quando já terminou o produto que estava a usar. Os must have são: base, corrector, blush, lápis castanho e batom sóbrio. Nem sequer uso máscara no dia a dia, porque vou ao ginásio ao fim do dia e não seria bonito! Recorro normalmente a marcas acessíveis como a Kiko, Yves Rocher (estou a usar uma base deles fantástica e o BB Cream tambémm foi uma boa surpresa), etc.

    Nos cuidados de pele invisto um pouco mais, mas hoje em dia já há alternativas muito boas a preços simpáticos.

    Bjs

    ResponderEliminar
  4. Bom post! E acho que veio na altura certa para mim...
    Ultimamente só compro batons bordeaux. Já perdi a conta dos que tenho. E caiu-me a ficha este fim-de-semana quando, depois de aproveitar os descontos da Sephora e trazer mais um, o meu namorado me diz "A sério que acabaste de gastar 50€ numa base e num baton? A sério?". E fiquei a pensar no que ele me disse... Se precisava de ambas as coisas? Bem... A minha base está a terminar e há muito que queria experimentar a vitalumiere... Mas se aguentava até ao natal? Aguentava. E o baton... Well, não não precisava. Mas a Sephora estava com descontos e é tão bonitinho e eu gosto tanto... Mil desculpas para chegar à conclusão que ele tem razão. E peco muito por não investir mais no cuidado de pele.

    No fundo, acredita que isto vem mesmo em boa altura para eu ler...!

    ResponderEliminar
  5. Eu por acaso sou bem adepta de alguns dupes caseiros, como a água de rosas...nunca me dei mal, mas acho que também têm de haver um certo discernimento a escolher quais usar.
    O que mais me leva a comprar por consumo é a embalagem sem dúvida, pode parecer estranho mas há sempre algum item que nos parece suficientemente querido para valer o seu preço. Só agora que estou a preparar as coisas para passar uma temporada fora de Portugal e que me apercebo que tenho sombras até ao final da vida ! E por muito que goste de consumo de beleza low cost, tenho de me render as evidencias: as marcas com melhor eficácia em termos do meu rosto são high-end por isso mais vale apertar o coração de tempo a tempo e gastar um dinheirão a ir comprando bases e correctores mais baratos mas sem efeito, perpetuando o ciclo vicioso...
    Obrigada pelo link da Vic Ceridono, nunca mais passei por lá mas assim ajuda-me a fazer uma checklist do que levar : ))

    http://www.thediariesofmissbad.pt/

    ResponderEliminar
  6. Eu gasto imenso em beleza, até porque sou maioritariamente consumidora de marcas high end (!!!) mas há cerca de dois anos comecei a controlar-me, e posso dizer que vou estar eternamente em rehab. Ando a viver às custas duma colecção de maquilhagem e produtos exagerada, e vou comprado apenas os items que vão acabando, e quando o rei faz anos permito-me um auto-miminho. Tento afastar-me de colecções especiais e ler imensas reviews para não comprar produtos desadequados. Há uns tempos comecei a fazer kits mensais ao estilo "marmita de makeu-up" e comecei a descobrir coisas que tinha que nem imaginava que existiam. Foi um wake-up call! Adorei este post, face à crise em que vivemos precisamos mesmo de consumir conscientemente! Beijinhos

    ResponderEliminar
  7. Adorei o post e concordo plenamente com o conteúdo! Apesar de ser um pouco compulsiva no que diz respeito a cosméticos e maquilhagem, à medida que fui amadurecendo (para não dizer envelhecendo) fui-me tornado mais seletiva. Há um grupo de produtos que considero essenciais (essencialmente de tratamento de rosto), nos quais invisto e não me arrependo. Depois, sempre que a carteira deixa, mimo-me com alguma extravagância. cada vez mais aposto em bons produtos e menos quantidade. Em vez de um sem número de batons de marcas mais acessíveis, aposto num nude, rosa e vermelho da chanel ou YSL. Muitas vezes, quase sempre, o look de longe é basicamente igual entre as diferentes marcas. No entanto, tudo o resto se diferencia, tipo: a hidratação dos lábios, a textura, pigmentação, a cor nas fotos...enfim...um rol de motivos, pelos quais acredito cada vez mais na frase "you get what you pay for".

    beijinhos

    ResponderEliminar
  8. Curioso falares em máscara de pestanas, é exactamente o produto onde tenho mais cuidado... nunca tenho mais de duas, uma preta e uma castanha. E também tento controlar-me com as bases... neste momento tenho duas em uso e duas fechadas e guardadas, por abrir! Agora reconheço que a minha perdição... é baton vermelho! Há dias em que é impossível resistir!

    ResponderEliminar
  9. Eu comecei a usar maquilhagem diáriamente mais ou menos em Abril, nos meses de Julho e Agosto nunca uso nada (excepto nas saídas à noite)e agora volto a utilizar todos os dias. Já me sinto numa fase de começar a arriscar, embora ainda tenha poucos produtos, prefiro juntar dinheiro e comprar algo melhor, do que qualquer coisa.
    Gostei bastante do Post.
    Beijinhos

    ResponderEliminar

Obrigado por comentarem!

PORTAL