Zara e o trabalho escravo

quarta-feira, agosto 17, 2011

Hoje quando vinha para o trabalho estava a consultar o Twitter, e reparo em imensos tweets sobre a Zara e o trabalho escravo... Não entendi!! Mas depois de uma maior pesquisa percebi que ontem foi para o ar no Brasil um programa que se chama "A Liga" que denuncia - na generalidade - que as marcas de fast fashion recorrem a trabalho escravo, demonstrando como exemplo a marca Zara, que recorre ao trabalho escravo de bolivianos (que podem ver no vídeo).

O assunto não é de hoje, e não se aplica apenas às casas de fast fashion, mas também às grandes marcas internacionais (lembro-me que nos anos 90 o assunto foi bastante discutido). Mas o assunto rebentou, que nem bomba, nas redes sociais, onde a Zara foi bastante insultada. Pressupõe-se que a marca virá a publico - brevemente - responder a toda esta questão (justificando-se com a questão do trabalho ser terceirizado, e que por isso não consegue ter total controlo sobre a produção de todas as suas peças - o que não é nenhum absurdo, apesar de muitas pessoas acharem que é a típica justificação). O assunto não deve fazer grandes danos aos lucros astronómicos da marca (nem a polémica com as tshirts de bloguers o fez!!), mas trata-se de responsabilidade social das marcas... Vou ficar à espera!!



E vocês, o que acham do assunto? O trabalho escravo é algo a que temos que nos habituar pois "está em todo o lado" ou acham que deve ser algo que precisa de mais atenção por parte da imprensa e, até mesmo, dos blogues de moda?

You Might Also Like

9 comentários

  1. ainda não vi o vídeo, porque estou no escritório, mas acho ridículo.

    a zara agora até pode dizer que passa o trabalho a terceiros e que não tem total controlo sobre aquilo que acontece ou deixa de acontecer, mas ninguém que me venha dizer que, ao preço que eles pagam a mão de obra e pelas peças, não têm noção de que os trabalhadores estão a receber mal (se é que recebem! como disse, ainda não vi o vídeo)

    aliás, não acho que a zara tenha subido os preços por ter aumentado a qualidade, pois há peças caras com buracos e com material muito fraco. pura e simplesmente querem ganhar mais em cada peça, já que as pessoas vão comprar menos.

    de qualquer das formas acho que não há justificação possível e que eles deviam assumir alguma responsabilidade e tentar alterar o funcionamento das coisas.

    logo vejo o vídeo, quando chegar a casa :)

    ResponderEliminar
  2. Catarina, em parte concordo contigo, sem duvida! Apesar de achar que a qualidade está muito melhor do que há uns anos atrás, também acho que não vivemos no mundo dos ingénuos, que "Oh, então isto é de trabalho escravo?? Não sabia!!" - nada disso! Mas acho que empresas com a dimensão (de trabalhadores e produção) que a Zara tem, pode sim tornar-se muito dificil ter controlo sobre este tipo de situações. E sim, o lucro é o mais importante - sempre foi, sempre será!! :// Contra isso, acho que não há luta possível (seria impossível conseguir um boicote em larga escala a uma loja como a Zara!)

    Beijinhos

    ResponderEliminar
  3. Não estava nada a par desta notícia!

    Acho que não é, de todo, algo a que nos tenhamos que habituar... é responsabilidade de todos nós (incidindo mais nas marcas/imprensa) zelar para que tal não aconteça, para não sermos cúmplices deste fenómeno. Obviamente isto em teoria é muito bonito, mas quando chegamos ao lado prático da questão 'a coisa' não é tão simples.

    ResponderEliminar
  4. concordo completamente com a Catarina, claro q os senhores da zara sabem bem o q se passa, mas da-lhes jeito "fechar os olhos". a zara na minha opiniao esta cada vez pior e precisa rapidamente de uma mudança na imagem q passa às pessoas. a imprensa deve dar mais atençao, assim como as bloggers e as pessoas em geral.

    ResponderEliminar
  5. Infelizmente não me admiro nada com esta situação! Já ando pouco amiga da zara e, com isto, ainda fico com menos vontade de entrar numa loja. Mas a verdade é que a zara ão é a única. E, como disseste, até grande marcas o fazem. Oh mundo!!!

    ResponderEliminar
  6. Realmente é incrível como em pleno século XXI haja trabalho escravo! Parece que somos todos animais e que é perfeitamente normal um ser humano usar outro, fazê-lo trabalhar em condições desumanas e fazer-lhe ainda o favor de não lhe pagar. Mas mesmo noutros contextos mais próximos parece que começa a ser normal as pessoas trabalharem a custo zero. Vemos essa situação todos os dias e ninguém parece achar estranho - quem abusa, quem sofre o abuso e quem assiste.

    Enfim, mais fácil ainda é para grandes marcas recorrer a essa forma de poderio que é absolutamente reprovável. Mas também é verdade que nós como consumidoras facilmente esquecemos esse 'pormenor' e fechamos os olhos. Temos que começar a mudar de postura e atitude. Mesmo! A começar por nós próprias.

    ResponderEliminar
  7. foste a primeira que gostei de ler a este respeito. é fácil apontar o dedo mas cuidado com os telhados de vidro. eu sei e defendo a ética da inditex, que muito fez nos ultimos anos para erradicar este problema...infelizmente ainda não o suficiente. mas confio que vai continuar a trabalhar para que as empresas/parceiros que contribuem para o sucesso da marca não o façam através da exploração do trabalho de ninguém...*

    ResponderEliminar
  8. É lamentável, sim. Mas francamente não sei se poderemos mudar isto. Muitas marcas recorrem a trabalho precário... Penso que só se poderia mudar algo com um boicote generalizado a estas marcas, mas na prática isto é quase impossível...

    ResponderEliminar

Obrigado por comentarem!

PORTAL